\\ PESQUISE NO BLOG

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

FRANKLIN 02


Franklin
Composição 1
No escuro, acuado, no canto, titubeio e gaguejo impressões sobre o que sei até agora sobre a peça, enquanto meu corpo se pretende sumir na escuridão.

Um comentário:

machadinho disse...

Nessa primeira composição, talvez pelo fato de ser o primeiro dia do Dan no nosso processo, o Franklin me pareceu extremamente perdido em seus próprios fantasmas. Desempregado, cheio de culpas pela morte do pai, passou a impressão de estar estagnado por isso. Me ficou bem forte o fato de ele sempre falar do pai (morto por um câncer)e de sua escolha pela profissão (oncologista) e também pelo fato de ele falar em seus delírios (no escuro) com o filho, explicar pro filho sobre o avô, sua morte e sua profissão que trata justamente da doença do avô. Penso que talvez ele não seja um pai (de verdade) ainda, exatamente por não ter resolvido minimamente sua situação de filho. Gosto quando ele fala para o filho, faz isso com carinho, mas não é capaz de se doar pro filho, ele ainda quer aprender, quer entender o que houve. Dores no corpo (a calça que estala).