\\ PESQUISE NO BLOG

sábado, 20 de agosto de 2011

Eva - Composiçã0 3

Tema: "Frank, meu amor, é só um desemprego"

Duas postagens se mostraram são fortes para mim que fui 'forçada' partir a composição em dois momentos:

Momento 1.

Com a ajuda do Dan, li aleatoriamente todas as frases da postagem 'Putrefação' de setembro de 2008 . Queria experimentar as frases em uma outra ordem e ver onde isso nos levaria. Com isso, começo a botar em prática meu plano suicida. Quero cada vez mais colocar Eva ao sabor do acaso, vê-la fazer e falar coisas que eu nunca a imaginaria fazendo. E foi assim que aconteceu aqui, tenho o audio gravado.

Momento 2.

Ainda com a juda do Dan, Eva e Frank leem a postagem 'O, vamos conversar...' de agosto de 2008. O tom da conversa é agressivo. Ao final do texto, Eva agradece a participação de Frank carinhosamente e, incluindo os espectadores da composição, os tranforma em alunos de uma aula de harmonização familiar, onde quele er um exemplo de como não tratar seus companheiro/a em futuros relacionamentos amorosos.

No ansaio anterior, Diogo comentou que não gostaria que Eva e Frank estivessem em crise, que os problemas daquele casal pertenciam a uma outra ordem. Não resisti a provocação. Gosto de composições com reviravolta.

Um comentário:

Andrêas Gatto disse...

Achei muito legal o fechamento do momento 2 pq nunca ia imaginar que Eva estaria numa aula de harmonização familiar. Quebrou totalmente meu envolvimento inicial com a cena e me deu um choque!! Ela não anunciou que ia brincar de teatro dentro do teatro! Ela entrou num fluxo sem nos dar a menor pista de que fluxo era aquele. Eu já tava assim: " A Virginia facilitou as coisas, trouxe o texto impresso, deu uma xerox na mão do Dan e resolveu o problema! Fez uma leitura dramatizada nem um pouco ensaiada!"rsrs. Aí vem a surpresa de que era exatamente aquilo que ela queria! Me fodeu e me obrigou a construir outro sentido-opinião pra aquilo, ou melhor, construiu outro na marra! Me deslocou, me acordou e esse tipo de efeito pode ser usado para os mementos previstos de "porrada" no público. Não sei se porrada é o melhor termo, mas me refiro ao que o Diogo falou de planejar os momentos de jogar o público pra cima...acho que tinha a ver com informações trágicas...quando o público acha que tá confortável entra uma nova "informação" trágica!! será q me fiz entender?:)